Notícias

Aprovado aumento acima da inflao para todo aposentado

25/06/2015
aposentadoria-camara-aprova-reajuste-igual-ao-minimo-10081610.jpg


Os 9,7 milhões de aposentados, pensionistas e segurados que ganham benefícios do INSS acima do salário mínimo vão ter direito ao mesmo aumento que é destinado aos 22,5 milhões que recebem o piso nacional. Em votação surpreendente, nesta quarta-feira (24), a Câmara derrotou o governo e aprovou emenda à Medida Provisória 672/15, estendendo a correção acima da inflação para esse grupo. A MP mantém as atuais regras de reajuste do mínimo de 2016 a 2019.

A emenda à proposta que iguala a correção para todos os aposentados, independente do valor do benefício, foi mantida por 206 votos a 179. Com a decisão, o mecanismo de valorização do mínimo vai corrigir todos os benefícios do INSS pelo INPC do ano anterior mais o Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. Assim, abre possibilidade para que mais aposentados tenham aumento real, caso a economia do país apresente desempenho melhor e volte a crescer.

Agora, a MP aprovada seguirá para votação em plenário do Senado. Como a medida sofreu alteração com emendas vai ser apreciada pelos senadores na forma de Projeto de Lei de Conversão (PLC). Caso também seja aprovado, será enviado à Presidência da República para ser vetado ou sancionado. 

O autor da emenda que estendeu o reajuste acima da da inflação aos aposentados que ganham mais, o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), comemorou a vitória contra o governo. Ele lembrou que o último ano em que esse segmento da categoria teve ganho real foi em 2010, ainda no governo Lula. De lá para cá, os benefícios desses aposentados do INSS foram corrigidos apenas pelo INPC acumulado. 

“Tínhamos expectativa muito grande com essa votação. Agora vamos lutar pela política de valorização dos idosos do País”, afirmou Faria de Sá, logo após a votação. 

Na ocasião, foi rejeitada emenda do deputado Marco Tebaldi (PSDB-SC) que previa a aplicação da média do PIB dos últimos cinco anos na regra de correção do mínimo se o indicador de dois anos anteriores fosse menor que a média.

Senado
Apesar da alegria pela aprovação da emenda que estende a correção do mínimo a todos os aposentados e pensionistas do INSS, sem levar em conta o valor dos benefícios, representantes dos segurados já estão preocupados com a tramitação no Senado. Mesmo considerando que terão boas chances de aprovação, o objetivo é trabalhar para conscientizar os senadores a aprovarem a proposta.

O presidente da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap), Warley Martins, ressaltou que se passar pelo Senado, a extensão do reajuste acima da inflação será mais um desgaste que a presidenta Dilma terá que enfrentar.

Novo mínimo
Mantida a regra de valorização do salário mínimo — a proposta foi aprovada ontem por 287 votos contra 12 —, o valor do piso nacional previsto para o ano que vem no projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) é de R$ 855. Em maio, o ministro do Planejamento Nelson Barbosa, anunciou uma correção de R$ 1 para a previsão inicial do salário que seria de R$854, que constava inicialmente na LDO entregue em abril ao Legislativo.

A correção representa um aumento de 8,5% sobre o atual valor do salário mínimo que é de R$ 788. O percentual, desta forma, deverá ser repassado a todos os 32,3 milhões de aposentados, pensionistas e segurados do INSS em todo o país a partir de 1º de janeiro de 2016.

Fontes: O Dia Online (texto) e EBC (foto)

Galerias

Cooperativas

Use o campo abaixo para buscar cooperativas. Buscar

Boletins

Cadastre seu email e receba nossos boletins.
Compartilhar

Comentar

Deixe abaixo seu comentário:      

Email

Compartilhe este artigo por email: