Dia C

Sobre o DIA C GOIÁS

Aplicativo GCOOP

Aplicativo Gcoop

Prêmio de Jornalismo

1° Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

Vídeos sobre Ética

Vídeos sobre ética

Novo prédio OCB/GO

Novo prédio OCB-GO

Cooperativa amiga da Criança

Conheça a campanha

OCB/GO 60 Anos

60 anos de História

Código de conduta ética

Conheça o Código de conduta ética

Portal de Negócios

Conheça o Portal de Negócios

Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

1° Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

Cooperativismo Ilustrado

Confira todos Infocoops

Notícias

Começa a funcionar a usina fotovoltaica da Uniodonto Goiânia

26/04/2021
whatsapp-image-20210415-at-180235-131131311.jpeg

 
A Uniodonto Goiânia foi a primeira singular a fazer o investimento em energia limpa e renovável. O equipamento adquirido foi o Sistema Solar Fotovoltaico com Microinversores Apystem com 38 painéis fotovoltaicos canadenses 415w com 152 módulos. A potência é de 63,08 quilowatt com possibilidade de gerar aproximadamente 7101,66 KWh / mês. Foram R$ 250 mil investidos e com a economia mensal de 80% de energia elétrica, valor será coberto em três anos e três meses. Vale lembrar ainda que a vida útil do sistema é de aproximadamente 25 anos e quase não há manutenção específica, uma vez que o único cuidado é a limpeza regular das placas.

A energia solar no Brasil corresponde a apenas 1,7% da matriz energética brasileira. Mas, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o mercado está em expansão. Em 2019 o crescimento do setor foi de 212%. O ano de 2020 fechou com pouco mais de 174 mil sistemas fotovoltaicos ea previsão é de que esse número ultrapasse a casa dos 880 mil sistemas em todo território brasileiro até 2024. Esse crescimento foi provocado pela crise hídrica que encareceu o preço da energia elétrica e pelos incentivos do governo federal, como linhas de financiamento com prazos longos e juros baixos para quem quer investir no sistema. Goiás é o 6º estado da federação que mais investida em tecnologia com 5,5% de toda potência instalada no país.

Ainda de acordo com a Aneel e a Absolar, mesmo com o pequeno parque instalado no Brasil a tecnologia já impediu que mais de 1,1 milhão de toneladas de CO² feito parar na atmosfera. Isso porque uma usina hidrelétrica emite tanto CO2 quanto as termoelétricas - que queimam pacotes como bagaços, madeira, óleo, gás natural e outros produtos - pois ao ser construído, uma hidrelétrica inunda áreas muito grandes, uma vegetação apodrece e lança dióxido de carbono e metano na natureza. Ou seja, quando a Uniodonto Goiânia resolveu investir na usina fotovoltaica, ela também cumpriu o 7º princípio cooperativista, que versa sobre o interesse pela comunidade - as cooperativas trabalham para o desenvolvimento sustentado das suas comunidades. E a energia solar também é boa para a economia. Foram mais de 210 mil empregos gerados e R$ 10,4 bilhões em impostos arrecadados desde 2012.  

A Uniodonto Goiânia, mais uma vez, mostra o seu DNA de empresa moderna, com uma administração criativa, que possui como objetivos o crescimento e responsabilidade sócio-ambiental da empresa.

Fonte: Uniodonto Goiânia

Compartilhar

Comentar

Deixe abaixo seu comentário:      

Email

Compartilhe este artigo por email: