Dia C

Sobre o DIA C GOIÁS

Aplicativo GCOOP

Aplicativo Gcoop

Prêmio de Jornalismo

1° Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

Vídeos sobre Ética

Vídeos sobre ética

Novo prédio OCB/GO

Novo prédio OCB-GO

Cooperativa amiga da Criança

Conheça a campanha

OCB/GO 60 Anos

60 anos de História

Código de conduta ética

Conheça o Código de conduta ética

Portal de Negócios

Conheça o Portal de Negócios

Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

1° Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

Cooperativismo Ilustrado

Confira todos Infocoops

Notícias

Cooperativismo pode inserir pessoas no mercado de trabalho

14/05/2019
bordana-17156107.jpeg


O presidente do Sistema OCB/SESCOOP-GO, Luís Alberto Pereira esteve na cooperativa Bordana no sábado (11) para uma visita de cortesia. Essa foi a primeira visita a uma cooperativa depois que ele tomou posse como presidente da entidade. “Foi um convite feito pela presidente da Bordana no dia da posse e eu achei pertinente porque também queria conhecer e conversar com elas sobre o trabalho desenvolvido na cooperativa. Precisamos incentivar que mais mulheres venham para o cooperativismo”, disse.

Luís Alberto acredita que a Bordana pode ser um dos modelos de novas cooperativas que sejam criadas para proporcionar renda e dignidade para muitas pessoas. “É o exemplo de como o cooperativismo pode impactar socialmente de modo positivo na vida da comunidade”, aponta.

O presidente do Sistema OCB/SESCOOP-GO entender ser possível unir ideias e sugestões em torno de ações para incentivar o engajamento das mulheres no cooperativismo. “Vamos ver o que nosso conselho pode sugerir, o que podemos aprender com a Bordana, vamos também pegar ideias do Encontro de Mulheres, Fórum de Presidentes, enfim, e a partir disso planejar e executar ações nesse sentido”. define. 

Para a presidente da Bordana, Celma Grace de Oliveira, a visita de Luís ALberto foi muito positiva, já que foi possível conversarem sobre ideias e projetos. “Ficamos felizes e lisonjeadas com a visita. Ele é uma pessoa muito sensível e tem tudo pra contribuir para uma gestão mais voltada para as pequenas cooperativas. Principalmente em um projeto para a mobilização das mulheres cooperativistas. Incentivar a participação das mulheres nas instâncias de poder nas cooperativas. É uma das coisas que conversamos”, cita. 

Além de um projeto para inserir pessoas no mercado, para ter renda e um trabalho que dê qualidade de vida, outro assunto tratado foi a criação de uma ferramenta de gestão administrativa para as cooperativas, como um aplicativo, por exemplo. “Apresentamos essa sugestão a ele, próximo passo é sentar com a equipe da OCB-GO para desenvolvermos esse projeto”, conta Celma.

A presidente da Bordana pensa que a intercooperação é o caminho mais viável para a consolidação e crescimento sustentável de todo o cooperativismo e da economia social. "Não podemos pensar a intercooperação somente como resultado econômico para as cooperativas, mas, especialmente, como resultado social. As grandes cooperativas precisam contribuir para fortalecer as pequenas, com uma ação de co-irmãs e fortalecimento do modelo cooperativista", analisa. 

Compartilhar

Comentar

Deixe abaixo seu comentário:      

Email

Compartilhe este artigo por email: