Dia C

Sobre o DIA C GOIÁS

Aplicativo GCOOP

Aplicativo Gcoop

Prêmio de Jornalismo

1° Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

Vídeos sobre Ética

Vídeos sobre ética

Novo prédio OCB/GO

Novo prédio OCB-GO

Cooperativa amiga da Criança

Conheça a campanha

OCB/GO 60 Anos

60 anos de História

Código de conduta ética

Conheça o Código de conduta ética

Portal de Negócios

Conheça o Portal de Negócios

Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

1° Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

Cooperativismo Ilustrado

Confira todos Infocoops

Notícias

Coopermel retoma oferta de alimentos a famílias carentes

03/03/2021
whatsapp-image-2021-03-03-at-18-121515411.jpeg


A Cooperativa dos Apicultores e Agricultores Familiares do Norte Goiano (Coopermel), como diversas outras cooperativas e associações de produtores, atuam como parceiras em políticas públicas do governo federal voltadas para a agricultura familiar. Essas políticas se mostram especialmente importantes para a segurança alimentar nesses tempos de pandemia, em que faltam empregos e a inflação reduz sensivelmente o acesso das famílias mais carentes a uma alimentação de qualidade. Depois de alguns anos de interrupção, o governo federal, via Conab, disponibilizou uma verba de R$ 160 mil por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), para várias cooperativas e associações do Estado de Goiás e do Brasil. 

O presidente da Coopermel, José Renato de Freitas Almeida, explica que, com os recursos recebidos esse ano, compramos produtos da agricultura familiar dos nossos cooperados e entregamos para os Centros de Referência de Assistência Social (Cras) de Porangatu e Mutunópolis, com os quais temos convênio. Os produtos serão distribuídos gratuitamente para centenas de famílias em situação de vulnerabilidade social em Porangatu e dezenas em Mutunópolis.

Satisfeito com a retomada do programa, José Renato de Freitas Almeida explica que a ação envolve uma cadeia de agentes e traz benefícios a todos. “A Conab fez o repasse para a Coopermel, que adquire os produtos da agricultura familiar e repassa para os Cras que, por sua vez, os repassam para as pessoas cadastradas, em situação de vulnerabilidade social.” 

José Renato explica que a cooperativa, que é registrada na OCB/GO, tem a opção de comprar de 20% a 30% dos produtos de agricultores familiares não cooperados, mas diz que a base da cooperativa, formada por 40 produtores, tem produção suficiente para atender toda a demanda por alimentos.

Com os alimentos, os Cras preparam cestas com produtos alimentícios produzidos de acordo com a sazonalidade, pelo período de um ano. Nessa época, por exemplo, as entregas são de milho, mamão, maracujá, mandioca, abóbora, farinha e polvilho, entre outros, formando um mix que varia de 30 a 40 produtos diferentes. José Renato diz que a Coopermel já vinha trabalhando com o PAA há quatro anos, mas ele foi paralisado e só retornou agora. “Em paralelo ao PAA, nós também trabalhamos com a chamada pública do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Por meio desse convênio também são entregues, basicamente, os mesmos produtos às escolas estaduais da região. As escolas então montam uma cesta com outros produtos que adquirem no mercado e fornecem para seus alunos”, explica.

Os convênios e as chamadas públicas são renovados atualmente e agora os cooperados aguardam a chamada pública do PNAE municipal “Queremos participar desse convênio também.”

Recursos

O presidente do Sistema OCB/GO, Luís Alberto Pereira, diz que é possível notar, ultimamente, um aumento significativo da organização de agricultores familiares em cooperativas e considera esse comportamento muito importante, por proporcionar maior organização e facilitar a comercialização dos alimentos. “As cooperativas são um excelente canal para distribuir a produção e ter acesso aos recursos federais disponíveis para a agricultura familiar, a exemplo do que faz a Coopermel, fomentando o fornecimento de alimentos a famílias carentes e também à comunidade escolar. Os benefícios ainda se refletem em uma maior profissionalização das atividades e no aumento da renda, além de contribuir para a oferta de alimentação saudável aos consumidores”, ressalta o dirigente.

Benefícios

O presidente da Coopermel ressalta que o programa tem o mérito de promover qualidade de vida nas duas pontas, gerando renda para o agricultor familiar e fornecendo alimentos de qualidade para as pessoas que os recebem, sejam os alunos, nas escolas, ou as família carentes cadastradas nos Cras. “É especialmente importante nesse momento de pandemia, em que as pessoas podem ter um alimento saudável, sem produtos químicos, que vão dar mais resistência e saúde às pessoas, ajudando até a evitar que contraiam a Covid.

A Coopermel este ano contou com a importante parceria da Prefeitura de Porangatu para fazer o transporte dos alimentos. “Tínhamos um veículo em comodato com a Secretaria da Retomada, mas ele foi recolhido, sob a alegação da necessidade de fazer um novo contrato. Como já se passaram 90 dias e precisamos de veículos para distribuir os alimentos, a Prefeitura de Porangatu, por meio da prefeita Vanusa Valadares, cedeu um caminhão basculante para fazermos esse transporte, embora esse tipo de veículo dê muito mais trabalho para carregar e descarregar os alimentos. De todo modo, tem sido muito importante essa parceria, mas continuamos aguardando a renovação do contrato de comodato para o retorno da caminhonete, que agiliza bastante o transporte das cargas.”





Compartilhar

Comentar

Deixe abaixo seu comentário:      

Email

Compartilhe este artigo por email: