Notícias

Boletim Goiás Cooperativo

Clipping Nacional

Flash Cooperativo

Circulares

Rádio Goiás Cooperativo

Rádio Goiás Cooperativo

Rádio Goiás Cooperativo/Interior

Podcasts

Releases

Cooperativismo Ilustrado

Vdeos

Central da Marca

Canais de Comunicao

Aplicativo GCOOP

Aplicativo Gcoop

Prmio de Jornalismo

1 Prmio de Jornalismo Gois Cooperativo

Museu Virtual Gois Cooperativo

Museu Virtual Gois Cooperativo

Vdeos sobre tica

Vdeos sobre tica

Novo prdio OCB-GO

Novo prdio OCB-GO

Cooperativa amiga da Criana

Conhea a campanha

OCB-GO 60 Anos

60 anos de Histria

Cdigo de conduta tica

Conhea o Cdigo de conduta tica

Portal de Negcios

Conhea o Portal de Negcios

Prmio de Jornalismo Gois Cooperativo

1 Prmio de Jornalismo Gois Cooperativo

Notícias

Dficit da previdncia pode chegar a R$ 3 tri em 2050, diz TCU

17/11/2015
previdencia-social-2-010121817.jpg


O Regime Geral de Previdência Social poderá chegar a 2050 com déficit de cerca de R$ 3 trilhões, se não passar por reformas. A estimativa é do Tribunal de Contas da União (TCU), que calcula, para 2016, um rombo de R$ 124 bilhões.

A corte discute nesta terça-feira (17), em Brasília, a viabilidade do sistema, no evento “Diálogo Público – Sustentabilidade dos Regimes Previdenciários”. Conforme o ministro do TCU Vital do Rêgo, a corte vem alertando o governo ao longo dos últimos anos sobre a necessidade de promover mudanças urgentes. A solução, segundo ele, passa pela reforma da Previdência.

“A Previdência não é mais um problema de médio e longo prazo, como alertaram ou alardearam alguns. Já é um grave problema a ser equacionado. E o pior é que, se nada for feito, o problema tende a se agravar ainda mais”, afirmou.

Segundo Vital do Rêgo, a desaceleração econômica agravou o desequilíbrio previdenciário, já afetado por baixas taxas de fecundidade e o envelhecimento acelerado da população. O TCU calcula que o contingente de idosos no país, hoje em 22 milhões de habitantes, deve triplicar até 2050, piorando a situação das contas públicas.

Presente ao evento, o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, defendeu a capacidade de inclusão social do atual modelo. Segundo ele, 84% da população idosa do país participa hoje do sistema de seguridade social.  

Rossetto reconheceu, no entanto, que as regras precisam ser repensadas, a fim de acompanhar, por exemplo, o aumento da expectativa de vida dos brasileiros. Para o ministro, o desafio do país é equilibrar as conquistas sociais obtidas nos últimos anos com o cenário demográfico atual e a capacidade de financiamento do sistema.

No evento, o ministério e o TCU assinaram um acordo de cooperação, cujo objetivo é promover o intercâmbio de informações e a cooperação técnico-científica na área.

Fonte: G1

Compartilhar

Comentar

Deixe abaixo seu comentário:      

Email

Compartilhe este artigo por email: