Dia C

Sobre o DIA C GOIÁS

Aplicativo GCOOP

Aplicativo Gcoop

Prêmio de Jornalismo

1° Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

Vídeos sobre Ética

Vídeos sobre ética

Novo prédio OCB-GO

Novo prédio OCB-GO

Cooperativa amiga da Criança

Conheça a campanha

OCB-GO 60 Anos

60 anos de História

Código de conduta ética

Conheça o Código de conduta ética

Portal de Negócios

Conheça o Portal de Negócios

Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

1° Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

Cooperativismo Ilustrado

Confira todos Infocoops

Notícias

El Niño pode afetar plantações de açúcar no Brasil

02/06/2015
cana-14166106.jpg


A ocorrência de El Niño, neste ano, pode dar suporte aos preços futuros do açúcar na Bolsa de Nova York, se o aumento de chuvas esperado comprometer a safra brasileira. O fenômeno climático se caracteriza pelo aumento do volume de chuvas durante o inverno no Centro-Sul do Brasil, levando a maiores dificuldades para realizar a colheita de cana, majoritariamente mecanizada.

Já no Nordeste, o fenômeno poderia provocar seca durante a entressafra local, prejudicando o desenvolvimento das plantações e reduzindo a produtividade agrícola. A INTL FCStone, contudo, pondera que as características do setor sucroenergético do País podem suavizar os efeitos de intempéries climáticas sobre a moagem total da safra. "Seria necessário um volume muito grande de chuvas durante a temporada mais seca do ano para prejudicar, significativamente, a produção de açúcar", diz a consultoria em relatório.

Em outros países produtores, o impacto do El Niño sobre a produção local ainda está sendo avaliado. Na Índia, o fenômeno já se manifesta pelo menor volume de chuvas de monções, e isso deve fazer com que a produtividade dos canaviais diminua. "As culturas concorrentes da cana têm maiores custos por hectare ou são mais sensíveis a intempéries climáticas, o que pode levar a aumento da área canavieira em caso de perspectiva de El Niño intenso", diz o analista da consultoria, João Paulo Botelho.

Para a INTL FCStone, o país asiático teria "médio" impacto absoluto na produção. Na Tailândia, também são esperadas chuvas abaixo da média durante a entressafra. "Apesar disso, o setor sucroenergético do país é capaz de manter nível elevado de moagem total mesmo depois de entressafra relativamente seca, como ocorreu em 2014/2015", diz a consultoria.

Fonte: Coopnews/Estadão Conteúdo

Compartilhar

Comentar

Deixe abaixo seu comentário:      

Email

Compartilhe este artigo por email: