Dia C

Sobre o DIA C GOIÁS

Aplicativo GCOOP

Aplicativo Gcoop

Prêmio de Jornalismo

1° Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

Vídeos sobre Ética

Vídeos sobre ética

Novo prédio OCB/GO

Novo prédio OCB-GO

Cooperativa amiga da Criança

Conheça a campanha

OCB/GO 60 Anos

60 anos de História

Código de conduta ética

Conheça o Código de conduta ética

Portal de Negócios

Conheça o Portal de Negócios

Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

1° Prêmio de Jornalismo Goiás Cooperativo

Cooperativismo Ilustrado

Confira todos Infocoops

Notícias

Entrevista: “Eliminação de taxas para a abertura de cooperativas é muito factível”

13/04/2021
1-11418167.png


Em entrevista concedida ao Portal Goiás Cooperativo, o presidente da Junta Comercial do Estado de Goiás, Euclides Barbo Siqueira, informa que dentro de muito pouco tempo será dada uma resposta à solicitação do Sistema OCB/GO pela Procuradoria Geral do Estado

O senhor é conselheiro fiscal efetivo do Sicoob Lojicred, tem uma história no cooperativismo. Quando ingressou? Foi sempre do segmento de crédito?

Ingressei no Sicoob Lojicred em 2011 e sempre fui do segmento de crédito. Eu já vinha em, parceria, há algum tempo, com o CDL, e   fui convidado, junto com o presidente à época, que foi o Romão Tavares, para que firmássemos fileiras no Lojicred. E estamos muito bem, graças a Deus, a cada dia mais tendo melhores resultados e com certeza é algo que fez diferença na minha vida e fez diferença na vida de muita gente do ramo do comércio. Na época eu estava na CDL e na Acieg. 

De que forma o cooperativismo contribuiu para o seu crescimento profissional, que aprendizado o senhor destacaria em sua trajetória?

O cooperativismo, como o próprio nome diz, significa pegar na mão um do outro, crescer juntos, é isso o que fazemos. Ver a dificuldade que o outro tem e ajudar, crescer junto com ele, e esse é o aprendizado principal que eu obtive do cooperativismo.

Neste contexto de parcerias entre o Sistema OCB/GO e o governo do Estado, qual a expectativa para o aumento de registros de cooperativas na Juceg?

Estamos desenhando essa parceria entre a Juceg e o sistema OCB/GO, até por solicitação do governador Ronaldo Caiado, que vê com muito bons olhos a questão do cooperativismo, pois é o único jeito das cidades pequenas, que realmente têm grandes dificuldades, de sobressair, de criar algo que a identifique. É comum ver, por aí afora, em outros países, ou até aqui mesmo, no Brasil, o cooperativismo conseguir marcar uma região, seja pelo turismo, por algo que ela produza muito bem, como queijos ou vinhos. E é nesse momento que os pequenos se tornam grandes, por meio da união proporcionada pelo cooperativismo e isso é muito bem quisto pelo Governo de Goiás e pela Junta Comercial. 

O senhor acredita ser possível o estabelecimento de novas parcerias entre a Juceg e o Sistema OCB/GO?

Vejo essas parcerias com muitos bons olhos. Tudo o que está relacionado ao crescimento do empreendedorismo dentro do Estado de Goiás, nós estamos totalmente abertos. O que nós queremos é que Goiás seja o melhor lugar para viver e para empreender.

Como o crescimento do setor cooperativista pode acelerar a retomada da economia no período pós-pandemia e como a Juceg pode contribuir nesse processo?

O presidente da OCB/GO, Luís Alberto Pereira, nos solicitou que eliminássemos a taxa para a criação de novas cooperativas no Estado de Goiás, e isso está sendo estudado já há algum tempo. Com certeza, dentro de muito pouco tempo nós teremos uma resposta da Procuradoria Geral do Estado. A meu ver é algo muito factível e está sendo estudado por nós, vogais, e todos têm uma certa vontade de fazer com que aconteça essa parceria, assim como outras que possam vir adiante, após esse entendimento inicial com o Sistema OCB/GO. Assim que tivermos essa resposta da nossa Procuradoria Geral, já vamos firmar essa parceria e isso vai crescer muito, porque a OCB já vem fomentando a criação de novas cooperativas nessas cidades pequenas. Ela tem uma grande estrutura para chegar às cidades do interior, de modo que possa, realmente, fazer a diferença, criando novas empresas e instalando o espírito cooperativista nas pessoas, fazendo com que essas pessoas se unam, de poucos em poucos,  para que se tornem muitos.

O senhor acredita ser possível firmar um acordo técnico entre o Sistema OCB/GO e a Juceg?

Já tivemos uma discussão a respeito desse modelo do Amazonas e o Luís Alberto, presidente do Sistema OCB/GO, está desenvolvendo alguns trabalhos junto ao governo de Goiás para criar uma lei própria. Essa questão, para nós, por não existir uma lei específica, às vezes dificulta um pouco. Mas caso a OCB/GO e o Governo de Goiás consigam tornar realidade essa lei e fazer todo esse projeto dar certo nós, com certeza, vamos cumprir. E isso facilitaria muito para a OCB, porque as falsas cooperativas, que só tem o cooperativismo no nome, estão aumentando bastante e precisamos, de alguma forma, tolher a ação dessas pessoas que  usam o cooperativismo para proveito próprio, algo que está muito longe da ideia do que é o real cooperativismo.

O Sistema OCB/GO aliou-se ao esforço do governo do Estado para apoiar o empreendedorismo com o objetivo de superar os impactos causadas pela pandemia no emprego e na renda das pessoas. Qual é a importância dessa união de esforços?

Tudo aquilo que vem para fundamentar, para dar estrutura, para fomentar o crescimento do número de empresas, e digo empresas com sobrevida, é muito importante para Goiás, é muito importante para o Brasil. Somente assim vamos conseguir sair desta dificuldade que nos foi imposta por essa pandemia. Só assim vamos conseguir continuar firmes e fortes e eu tenho certeza absoluta que essa parceria entre o sistema OCB/GO e o Estado de Goiás vai ser abrilhantada com várias novas cooperativas, elas estão se estruturando agora para, quando a pandemia acabar, ter toda a estrutura já pronta para começar a produzir.



Compartilhar

Comentar

Deixe abaixo seu comentário:      

Email

Compartilhe este artigo por email: