Notícias

Boletim Goiás Cooperativo

Clipping Nacional

Flash Cooperativo

Circulares

Rádio Goiás Cooperativo

Rádio Goiás Cooperativo

Rádio Goiás Cooperativo/Interior

Podcasts

Releases

Cooperativismo Ilustrado

Vdeos

Central da Marca

Canais de Comunicao

Aplicativo GCOOP

Aplicativo Gcoop

Prmio de Jornalismo

1 Prmio de Jornalismo Gois Cooperativo

Museu Virtual Gois Cooperativo

Museu Virtual Gois Cooperativo

Vdeos sobre tica

Vdeos sobre tica

Novo prdio OCB-GO

Novo prdio OCB-GO

Cooperativa amiga da Criana

Conhea a campanha

OCB-GO 60 Anos

60 anos de Histria

Cdigo de conduta tica

Conhea o Cdigo de conduta tica

Portal de Negcios

Conhea o Portal de Negcios

Prmio de Jornalismo Gois Cooperativo

1 Prmio de Jornalismo Gois Cooperativo

Notícias

Frango cai uma posio e milho agora o lder da pauta exportadora

03/03/2016

A carne de frango in natura – quarto principal produto exportado pelo Brasil em 2015 e sexto produto da pauta em janeiro de 2016 – perdeu mais uma posição: com uma queda de receita de 8,70% em relação ao mesmo período do ano passado - resultado que, por sua vez, conduziu a uma redução de participação da ordem de 4,23% - fechou o primeiro bimestre do ano no sétimo lugar.

Comparativamente ao posicionamento obtido em janeiro, a carne de frango foi ultrapassada pelo açúcar em bruto e pela soja em grão. Ou seja: poderia ter caído para a 8ª posição não fosse um recuo, ainda maior, do farelo de soja, quinto produto da pauta na abertura do ano, mas agora na nona posição.

De forma geral, porém, observa-se verdadeira “dança das cadeiras” entre os principais produtos da pauta exportadora brasileira. O café, que há um ano ocupava o terceiro posto está agora na oitava posição. E a soja em grão, 15ª colocada no bimestre inicial de 2015 assume no momento o sexto lugar.

Mas sem dúvida inédito – e extremamente preocupante para os segmentos econômicos dependentes do produto – é a ascensão do milho ao posto de principal gerador da receita cambial do País no primeiro bimestre de 2015. Isso mesmo: o grão saltou da sétima posição em 2015 para a primeira em 2016, suplantando commodities tradicionais como o minério de ferro ou o petróleo em bruto.

Analistas em geral apontam que esse ímpeto deve perder ritmo a partir de março corrente. Pode ser. Mas os quase 10 milhões de toneladas embarcadas nos dois primeiros meses de 2016 ao mesmo tempo em que são indicadores do potencial do milho no mercado internacional, antecipam que as dificuldades internas de abastecimento e de preço persistirão por bom tempo.

Fonte: Avisite

Compartilhar

Comentar

Deixe abaixo seu comentário:      

Email

Compartilhe este artigo por email: