Artigo Jurídico

Hora de fechar as contas

Balanço patrimonial e apresentação de resultados requerem atenção e precisão por parte de quem os elabora.

O final de ano vai além das festas de confraternização e do pagamento do 13º. É um bom momento para organizar o balanço patrimonial e a prestação de contas das cooperativas. Trabalho minucioso que exige a precisão e a dedicação dos contadores responsáveis.

O balanço patrimonial é constituído pelo ativo, pelo passivo e pelo patrimônio líquido. Cada cooperativa deve fazer um documento que evidencia os componentes patrimoniais, de modo a possibilitar aos seus usuários a adequada interpretação das suas posições patrimonial e financeira. Os dados são organizados para que seja possível uma comparação com a gestão anterior.

O ativo compreende as aplicações de recursos representadas por bens e direitos.  O passivo compreende as origens de recursos representadas por obrigações. Já o patrimônio líquido compreende os recursos próprios da entidade, ou seja, a diferença a maior do ativo sobre o passivo. 

Já as sobras do exercício, após as destinações legais e estatutárias, devem ser dispostas em assembleia para deliberação. Em caso de sobras líquidas, as mesmas devem ser distribuídas aos seus associados de acordo com a produção de bens ou serviços.

A prestação de contas anual, que deve ser submetida aos órgãos competentes, pode seguir modelo já disponibilizado pela Organização das Cooperativas do Brasil. E, além de atender questões legais, é uma oportunidade para que os cooperados acompanhem ações, investimentos e evoluções do setor.

Em assembleia, a cooperativa deve fazer um balanço transparente das contas realizadas no exercício de um ano. O relatório deve conter dados e informações sobre as atividades e as necessidades de cada cooperativa, sendo que as áreas diferentes exigem adaptações na hora de fazer o documento.

 

Galerias

Cooperativas

Use o campo abaixo para buscar cooperativas. Buscar

Boletins

Cadastre seu email e receba nossos boletins.