SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS NO ESTADO DE GOIÁS

Cooperativismo é unir para fortalecer e foi justamente esse pensamento que levou as cooperativas a optarem por uma representação única. Criada em 1969, durante o IV Congresso Brasileiro do Cooperativismo, a OCB veio substituir e unificar a ABCOOP (Associação Brasileira de Cooperativas) e a Unasco (União Nacional de Cooperativas). Desde então, a instituição é responsável pelo fomento e defesa do sistema cooperativista brasileiro, apresentando o cooperativismo como solução para um mundo mais justo, feliz, equilibrado e com melhores oportunidades para todos.
Fundada em 1956 a OCB/GO é a Unidade Estadual, que representa as cooperativas no Estado de Goiás.

Princípios

1º – Adesão voluntária e livre
As cooperativas são organizações voluntárias, abertas a todas as pessoas aptas a utilizar os seus serviços e assumir as responsabilidades como membros, sem discriminações de gênero, condição social, racial, política e religiosa.

2º – Gestão democrática
As cooperativas são organizações democráticas, controladas pelos seus membros, que participam ativamente na formulação das suas políticas e na tomada de decisões. Os homens e as mulheres, eleitos como representantes, são responsáveis perante os demais membros. Nas cooperativas de primeiro grau, os membros têm igual direito de voto (um voto para cada). As cooperativas de grau superior são também organizadas de maneira democrática.

3º – Participação econômica dos membros
Os membros contribuem equitativamente para o capital das suas cooperativas e controlam-no democraticamente. Parte desse capital é, normalmente, propriedade comum da cooperativa. Os membros recebem, habitualmente, se houver, uma remuneração limitada ao capital integralizado, como condição de sua adesão. Os membros destinam os excedentes a uma ou mais das seguintes finalidades:

• Desenvolvimento das suas cooperativas, eventualmente por meio da criação de reservas (uma parte delas não poderá ser divisível);
• Benefícios aos membros na proporção das suas transações com a cooperativa;
• Apoio a outras atividades aprovadas pelos membros.

4º – Autonomia e independência
As cooperativas são organizações autônomas, de ajuda mútua, controladas pelos seus membros. Se firmarem acordos com outras organizações, incluindo instituições públicas, ou recorrerem a capital externo, devem fazê-lo em condições que assegurem o controle democrático pelos seus membros e mantenham a autonomia da cooperativa.

5º – Educação, formação e informação
As cooperativas promovem a educação e a formação dos seus membros, dos representantes eleitos e dos trabalhadores, de forma que estes possam contribuir, eficazmente, para o desenvolvimento das suas cooperativas. Informam o público em geral, particularmente os jovens e os líderes de opinião, sobre a natureza e as vantagens da cooperação.

6º – Intercooperação
As cooperativas servem de forma mais eficaz aos seus membros e dão mais força ao movimento cooperativo, trabalhando em conjunto, por meio das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais.

7º – Interesse pela comunidade
As cooperativas trabalham para o desenvolvimento sustentado das suas comunidades, por meio de políticas aprovadas pelos membros.

Atuação

A OCB/GO foi criada para ser a voz das cooperativas brasileiras no Estado de Goiás. Estamos sempre presentes, mostrando todos os benefícios que o cooperativismo é capaz de trazer para as pessoas e para o país. Atuamos, principalmente, junto aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e com entidades internacionais em busca de conquistas e avanços para o setor. Entenda como a OCB/GO cria redes de relacionamento para deixar o cooperativismo brasileiro cada vez mais forte.

EXECUTIVO

Trabalhamos para deixar o cooperativismo sempre em pauta, construindo políticas públicas positivas para o setor e, consequentemente, para o desenvolvimento social e econômico do país.

LEGISLATIVO

Articulamos junto aos deputados e senadores leis de incentivo ao modelo cooperativista, sendo a Frente Parlamentar do Cooperativismo uma grande aliada nessa missão de fortalecer o cooperativismo.

JUDICIÁRIO

Apresentamos as singularidades e a realidade do setor cooperativista, em relação a outros modelos de negócio, que devem ser levadas em consideração pelos juristas no momento da tomada de decisões.

INTERNACIONAL

Levamos o trabalho das cooperativas goianas para o mundo e trazemos para o Brasil as boas práticas que encontramos, tudo isso alinhados à Aliança Cooperativa Internacional (ACI) e às 17 ODS da ONU.

Serviços

A OCB/GO está sempre atenta aos cenários político, econômico e social e a movimentações que possam trazer impactos para o cooperativismo brasileiro. Com esse olhar, desenvolve produtos e serviços de orientação técnica para contribuir com a sustentabilidade das cooperativas.

Quem é quem

Presidente:
Luís Alberto Pereira (Sicoob Engecred)

Vice-Presidente:
Astrogildo Gonçalves Peixoto (Coapil)

Membros Efetivos:
Celso Ronaldo Raguzzoni Figueira (Central Sicredi Brasil Central)
Clayton Silva Pires (Sicoob Crediadag )
Clidenor Gomes Filho (Sicoob Uni)
Dourivan Cruvinel de Souza (Comigo)
Pedro Barbosa de Oliveira (Centroleite)
Valdenor Cabral dos Santos (Coopmego)

Membros efetivos:
Clóvis Ribeiro Dias (Sicoob Credi Comigo)
Lister Borges Cruvinel (Sicoob Centro-Sul)
Zeir Ascari (Sicredi Cerrado GO)

Membros suplentes:
Douglas Augusto Ribeiro (Cootreg)
João Gonçalves Vilela (Cagel)
José Atair Neto (Cooperabs)

Antônio Carlos Borges (Agrovale)
Antonio Chavaglia (Comigo)
Haroldo Max de Sousa (Coapro)
Joaquim Guilherme de Souza (Complem)